Coluna Ana Lavratti: Dos contos de fadas à vida real

01 de Julho de 2019

Fui até Biguaçu conhecer a Michele Calçados Sob Medida, um dos negócios mais tradicionais da cidade

Rita de Cácia de Freitas, há 44 anos na gestão da Michele Calçados

 

Diz a tutela do encontro, que sempre existe um chinelo velho a espera de um pé torto.

Dizem os contos de fadas que um sapatinho é a guinada,

entre a vida borralheira, coberta com cinzas da lareira,

e os dias de princesa. Quando a chama do amor acesa

lembra o encanto que emerge. Ela agora é Cinderela.

 

Tomada pelas promessas que poetizam um sapato.

Tomada pelas certezas de que existe par perfeito, quando o calçado traduz meu jeito.

Quando zela pelos passos. Revela o meu passado, do calo ao solado gasto.

Ou se transmuta em passaporte, pra eu me sentir mais forte.

Certo é que os calçados detêm este poder, de ser freio ou trampolim.

conduzindo cada pisada até a melhor versão de mim.

Às vezes, devagar, no compasso da lógica.

Ou não. Feito condão. Como um passe de mágica.

 

Movida a trabalho, no métier de contar histórias, fui até Biguaçu conhecer a Michele Calçados Sob Medida, sem jamais prever o encanto que provaria.

 

Lá se vão 44 anos desde que Albino Antonio Skowronski e Rita de Cácia de Freitas começaram a receber clientes no próprio apartamento onde criavam a primeira filha, Michele, no Paraná. E lá se vão 33 anos desde que a família, acrescida dos filhos Caroline e Fernando Luís, migraram para Biguaçu, onde desde então recebem clientes de todo o Estado, sempre no mesmo endereço, na rua Acácio Reitz, 223.  Quase tão antiga quanto o vínculo com a cidade é a parceria com Inácio Becker, funcionário que há 32 anos acompanha os altos e baixos de um negócio que, assim como a moda, sobe e desce do salto. Papel essencial teve também o irmão de Rita, Pedro, responsável por apresentá-los aos principais nomes da alta costura, nos Anos Dourados dos clubes sociais.

 

A exclusiva “alquimia”, capaz de transportar aos pés das noivas, das musas do Carnaval, das jovens debutantes, de senhoras elegantes, o tecido dos vestidos criados por Gesoni Pawlick, Érica Thiesen, Galdino Lenzi e outros grandes estilistas, nem sempre é movida a luxo e vaidade. Na maioria dos casos, a demanda vem casada com real necessidade. Clientes anãs, comumente confinadas à sessão infantil. Clientes muito altas, com poucas opções na sua numeração. Clientes com pés inchados, peles sensíveis, dedos amputados, compensações exigidas, quando uma perna é mais curta do que a outra, são só poucos exemplos de quando o problema encontra a solução. Com o mesmo atendimento, feito com o coração. Destinado a encantar, do chefe do executivo à corte do Carnaval.

 

Entre os clientes notórios da Michele Calçados está o governador Pedro Ivo Campos, que viria a falecer antes de concluir o seu mandato. Com os pés muito inchados, efeito colateral do tratamento contra o câncer, Pedro Ivo se viu impedido de trabalhar quando todos os seus sapatos deixaram de servir. Acionado em caráter de urgência, Albino foi escoltado até o Palácio, a fim de tirar as medidas e contemplar, em tempo recorde, o ex-deputado e ex-prefeito com um oportuno par perfeito. Do atendimento personalizado ao preço justo, das estampas disponíveis ao máximo conforto, das encomendas feitas a distância, pela internet, à medida tirada dentro do carro, auxiliando pessoas com locomoção limitada, Rita de Cácia denota em cada gesto a mesma obstinação: colocar mais sonhos ao alcance da mão.

 

É assim com Fabiano Silveira, mestre do tango que exige num mesmo modelo o conforto da sapatilha e a elegância de um calçado social. É assim com o Rei Momo Hulk, que em decorrência do diabetes só peregrina de baile em baile com um sapato fofinho e flexível. Seja com Arícia Silva, Musa da Vila Isabel na Marquês de Sapucaí, com Camilla Ventura, Rainha da Coloninha na passarela Nego Quirido, ou com Rosangela Grubba, que guarda há 25 anos suas botas artesanais como relíquias atemporais, o ritual de tirar as medidas, definir a estampa, fazer a modelagem, o corte, a costura, a montagem e a entrega, mantém com o filho Fernando a mesma tradição: cultuar o encanto, quando o perfeito encontro se revela a nossos pés.

 

Clique nas fotos para acionar o slideshow e ampliar as imagens da Galeria.

 

Siga #AnaLavratti também no instagram @AnaLavratti

  

Michele Calçados Sob Medida
Fernando Luís, o filho que mantém a tradição

Ana Lavratti

  • imagem de lavratti
    Ana Lavratti é Jornalista e Mestra pela UFSC com pesquisa sobre a Notícia em Meio Digital Online. Multiplataforma, acumula experiência em mídia impressa, eletrônica e assessoria de comunicação. Também é escritora, autora de 3 livros e 3 e-books, e atua como colunista social desde 2014. www.analavratti.com.br / social@analavratti.com.br Curta o Instagram @analavratti