Coluna Alisson Barcelos | SC e o atraso nas negociações para a retomada dos eventos presenciais

31 de Agosto de 2020

Não é possível seguirmos sem essa atenção essencial a estes profissionais e à economia

Movimento Luz aos Invisíveis quer dar voz aos profissionais de eventos

 

Neste momento em que muito se fala e pouco se decide em relação ao retorno dos eventos presenciais em Santa Catarina, é preciso reconhecer o esforço de todos aqueles que, depois de viverem um momento de branco total, de luto, retomaram as rédeas e lançaram novos produtos para tentar conseguir sobreviver até que congressos, feiras, conferências e shows estejam liberados. 

Mas sinceramente, quem vive de eventos - e quem lê esta coluna - percebe o quanto o nosso Estado ainda está atrasado nas negociações e ações para a retomada. É letárgico. É necessário agilidade, porque o setor está parado há praticamente seis meses. Há milhares de pessoas e famílias que dependem dele para sobreviver. Não é possível seguirmos sem essa atenção essencial a estes profissionais e à economia. 

 

Marketing digital para economia criativa

Com a suspensão dos shows e eventos por causa da pandemia, a produtora Ivanna Tolotti tirou da gaveta um novo projeto: uma agência com soluções de marketing digital para o setor da economia criativa, profissionais que foram tão afetados pela paralisação dos trabalhos. Na sede da produtora Tum Cult, ela criou um estúdio para lives, gravação de cursos online e outros infoprodutos e serviços para empreendedores do setor. A proposta é formar redes de empreendedores criativos, inovar com tecnologia, pensar em novos modelos de negócios e gerar e disseminar conhecimento. De abril agosto, Ivana também fez 50 lives com entrevistados do setor de eventos. Porque o show não pode parar. 

 

Galeria solidária de fotógrafos

 

Ainda na linha daqueles que se viram para garantir renda durante a pandemia, preciso dizer que é espetacular a iniciativa dos 32 fotógrafos/amantes da fotografia que criaram a galeria virtual Viva Fotografia - Coletivo Catarinense Solidário, cujas fotos expostas estão à venda. Os recursos obtidos com a comercialização das imagens apoiarão estes profissionais que estão impedidos de realizar seus trabalhos. Além de tudo, são imagens belíssimas. Elas podem ser encontradas no site, no Facebook e no Instagram.

 

Retomada dos eventos em Santa Catarina

Após reunião do grupo econômico, na última quinta-feira (27), o secretário de Estado da Fazenda Paulo Eli informou que a retomada dos eventos presenciais está diretamente ligada à redução da incidência dos casos de Covid-19 em Santa Catarina e só deve ocorrer quando todas as regiões saírem do vermelho, quadro gravíssimo da doença, o que, segundo estimativas, deve ocorrer em 15 dias. Eli afirmou ainda que esta volta será com restrições, como ocorreu com os outros setores - isso não poderia ser diferente.  

 

Movimento Luz aos Invisíveis ganha as ruas
 

Criado online para representar os trabalhadores dos setores culturais, turísticos, sociais e corporativos que clamam pela volta do setor - com segurança -, o Movimento Luz aos Invisíveis ganhou as ruas de Brasília (DF) desde a última terça-feira (25), com manifestação pelas ruas partindo do Museu Nacional, passando pelo Congresso e pelo Ministério do Turismo. O movimento pretende que estes profissionais sejam vistos, ouvidos e reconhecidos. Nas redes sociais, eles usam a #euvivodeeventos.

 

Lounges para eventos ao ar livre no RJ

No Rio de Janeiro, a Jeunesse Arena estudou novas formas de receber o público para shows e eventos. Uma das ideias é fazer os eventos ao ar livre e separando a plateia em lounges (áreas cercadas para quatro ou cinco espectadores), sem ter acesso a outros grupos de pessoas. A proposta é eles entrarem de carro no local, com chegadas escalonadas. A exemplo dos drive-ins, um app será utilizado para a fila para ir ao banheiro e para pedir comida nas mesas. A realização de eventos corporativos no Rio de Janeiro está liberada desde 16 de agosto.

 

SP tem protocolos, mas ainda não definiu volta 

O Governo de São Paulo realizou uma audiência pública na última quarta-feira (26) com representantes do setor de eventos corporativos, feiras de negócios e buffês infantis e sociais para planejar o retorno das atividades. Segundo eles, mesmo que as feiras, eventos de negócios e congressos sejam autorizados para retornarem ainda este ano, voltarão de forma efetiva apenas em 2021, uma vez que é preciso um planejamento mínimo de três meses. 

Mesmo ainda sem data definida para a retomada, o governo anunciou protocolos válidos para atividades culturais e para feiras, congressos e convenções: ocupação máxima de 40% da capacidade do local, funcionamento de até seis horas por dia, público sentado e assentos com no mínimo 1,5 metro de distância e uso obrigatório de máscaras. 

 

Decreto em Londrina

Na última segunda (24), o prefeito de Londrina (PR) Marcelo Belinati assinou um decreto autorizando os profissionais de eventos a voltarem a trabalhar, mas para atuar em áreas similares, uma vez que os eventos presenciais ainda estão proibidos. Em uma live no Facebook, exemplificou dizendo que um bufê infantil poderia reabrir como restaurante self-service ou para a produção de sanduíches.  

 

Quatro fases para a retomada no Ceará

O secretário de Turismo do Ceará, Arialdo Pinho, anunciou que os eventos naquele estado deverão voltar já em setembro, mas divididos em quatro fases. Primeiro, uma de transição, com duração de sete dias, e que ocorre em espaços privativos para até 100 convidados - a capacidade é de uma pessoa para cada 12m² -, sem entretenimento e funcionando até as 23 horas. 

Na Fase 1, com duração de 14 dias, os eventos corporativos teriam capacidade de uma pessoa para cada 7m², e os demais eventos teriam uma capacidade para cada 12m². Na Fase 2, com duração de mais 14 dias, eventos realizados em ambientes externos serão limitados a até 300 pessoas; os corporativos, terão limite de uma pessoa para cada 7m² e os demais eventos seguem com capacidade de uma pessoa para cada 12 m².

Na Fase 3, também com duração de 14 dias, eventos em ambientes internos poderão funcionar com até 300 pessoas e as mesmas capacidades da Fase 2; no caso dos eventos em ambientes externos, o limite será de até mil pessoas.

 

Suécia tem sugestões para a flexibilização de eventos

Após o governo sueco pedir maneiras de aliviar, com segurança, as restrições aos eventos, a Agência de Saúde Pública da Suécia anunciou mudança nas regras para “eventos sentados”. O limite passou de 50 pessoas (este tipo de evento não gerava lucro e fez com que casas de eventos e cinemas fechassem) para 500 pessoas com espaço de uma pessoa por metro quadrado desde que esteja em assento marcado. A restrição atual é de dois metros quadrados. Se aprovadas pelo governo e se tornarem lei, as novas regras devem começar a valer em 1º de outubro).

 

Evento-restaurante na Bélgica
 

Foto: Reprodução do LinkedIn, Higor Mantovani

As pessoas querem mesmo é sair de casa. Sempre respeitando os protocolos e as regras de distanciamento social, a Bélgica realizou um evento-restaurante ao ar livre com mesas exclusivas para cada família. Confira na imagem.

Alisson Barcelos

  • imagem de alisson
    Alisson Barcelos Formado em Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda com mais de 25 anos de experiência no mercado de eventos. É cofundador da SB+ Eventos, empresa referência em produção de eventos em Santa Catarina e diretor de Eventos Especiais e Confrarias da ADVB/SC. No Portal Acontecendo Aqui, vai falar sobre o que mais entende e ama fazer: eventos, logicamente.

Notícias Relacionadas