Coluna Alisson Barcelos | Eventos online: uma nova forma de se comunicar, de aproximar, eliminar barreiras geográficas e que veio para ficar

09 de Outubro de 2020

Entrevista com Denis Braguini Bevacqua,  diretor de eventos para a América Latina da Resultados Digitais

Denis Braguini Bevacqua,  diretor de eventos para a América Latina da Resultados Digitais (FOTO: Divulgação)

Acredito que os eventos digitais realizados nos últimos meses aqueceram o mercado de eventos. Eles também se tornaram mais acessíveis às pessoas e empresas que anteriormente não tinham tanta familiaridade. No Brasil e no mundo, surgem vários eventos que se remodelaram para o meio online. Na coluna desta semana, destaco ações nacionais e internacionais que comprovam que este novo formato de comunicação veio para ficar. Soma-se a isso a entrevista com o querido Denis Braguini Bevacqua, diretor de eventos para a América Latina da Resultados Digitais, que nos fala um pouco sobre como o cancelamento do RD Summit, um dos maiores eventos tecnológicos mundiais, se tornou uma oportunidade de reinvenção da empresa para o lançamento de um novo produto, agora digital. 

 

Seminário ABDEH Digital 2020


Os arquitetos Emerson da Silva, Elisabeth Hirth, que tomou posse como presidente da entidade, Patrícia Paiva D'Alessandro e Inara Rodrigues. FOTO: José Somensi, Divulgação ABDEH

Evento anteriormente confirmado para ocorrer em Pernambuco neste mês, o Seminário ABDEH Digital 202), da Associação Brasileira para o Desenvolvimento de Edifícios Hospitalares (ABDEH), mudou de plataforma e foi realizado nos dias 7, 8 e 9 de outubro, com transmissão ao vivo para o Brasil e América Latina a partir de Florianópolis. 

Contou com palestrantes nacionais e internacionais, que discutiram as vivências e os aprendizados para a construção hospitalar a partir da pandemia. Um dos pontos mais elogiados pela entidade e pelos participantes foi o fato de poder reunir em um único local as pessoas de todos os cantos do país, sem barreiras geográficas. 

O evento ainda se preocupou com a acessibilidade e todos os protocolos de biossegurança (uma tendência para os eventos digitais): audiodescrição do cenário para inclusão dos deficientes visuais e libras e closed captions para deficientes auditivos.

Segundo o presidente da ABDEH, Emerson da Silva, fazer uma transformação digital não é a mesma coisa que digitalizar uma empresa ou instituição existente. “Transformação digital implica reimaginar produtos e serviços como ativos com habilitação digital; gerar um novo valor com a interconexão de ativos físicos e digitais por meio de dados e criar ecossistemas para possibilitar tudo isso. Ela resulta em uma mudança fundamental nas empresas e instituições, seja nas atividades organizacionais, nos processos, nas competências e nos modelos de negócio, possibilitando maior produtividade”, considera.

 

Pesquisa Globex

A Globex, pesquisa que mede o impacto da Covid-19 no mercado de feiras de negócios, realizado pela consultoria AMR International, apontou que o mercado de exposições e feiras deve contrair cerca de 70% neste ano. O estudo levou em consideração os mercados de Brasil, Estados Unidos, China, Reino Unido, Alemanha, França, Itália, além do Conselho de Cooperação do Golfo (GCC), de Rússia, Hong Kong, Turquia, México, Índia, Cingapura, Tailândia, Malásia, Vietnã, Macau e Filipinas, e concluiu que a China foi o país menos afetado pelo cancelamento de eventos, e o Brasil, o mais afetado.

 

Brasil participa online da Feira do Livro de Frankfurt 2020

Começa na próxima semana, de 14 a 18 de outubro, a Feira do Livro de Frankfurt 2020, um dos eventos do mercado editorial mais importantes do mundo. O Brasil fará sua participação neste ano por meio da plataforma digital da feira. 

 

Como foi o primeiro show no Rio de Janeiro


FOTO: Cidade das Artes, Divulgação
 

O Rio de Janeiro presenciou no último fim de semana a estreia do Projeto Jardim das Artes, na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca. Um show ao ar livre com o grupo Menos é Mais marcou o início da retomada dos eventos presenciais. Como vocês podem ver na foto, a organização do evento disponibilizou para venda 150 lounges com capacidade máxima de seis pessoas. Os lounges respeitaram o distanciamento social e ficaram longes dois metros um do outro. Os ingressos foram vendidos para grupos fechados e direcionados para famílias e pessoas do mesmo convívio.

 

Entrevista
Denis Braguini Bevacqua,  diretor de eventos para a América Latina da Resultados Digitais

Em entrevista à coluna, o diretor de eventos para a América Latina da Resultados Digitais, Denis Braguini Bevacqua,responsável pela organização e ascensão do RD Summit, que nos últimos anos chegou a 12 mil participantes e se tornou o maior evento de Marketing da América Latina, fala sobre os eventos da RD neste período de pandemia. Tem muito aprendizado pela frente. Confira abaixo. 

 

- Como foi para a RD a decisão de cancelar o RD Summit presencial em 2020?

Foi uma decisão muito difícil. Para 2020 estávamos com dois projetos o RD On The Road e o RD Summit. O RD On The Road é o evento itinerante que percorre todas as capitais do Brasil e que este ano iria voltar para o México e para a Colômbia. Por ser um evento que aconteceria no primeiro semestre (o ápice da pandemia), identificamos já em março que o evento não poderia ocorrer, por causa das viagens internacionais que teríamos de fazer. Como o evento ainda não tinha sido lançado, reunimos a nossa diretoria e optamos por cancelar. Foi mais fácil. 

Já o RD Summit foi mais complicado, porque o evento ocorreria em outubro e estava sendo divulgado havia dois meses. Com a chegada da pandemia, convivíamos com a incerteza de os eventos serem liberados ou não. Todo o projeto já estava engatilhado e já tínhamos 5 mil inscritos pagantes, quase 30 patrocinadores fechados, quase toda a agenda de eventos confirmada. Não foi apenas um cancelamento. Foi um cancelamento acompanhado de distrato e envolvia toda a complexidade de uma megaconferência deste porte. Porém, quando analisamos os fatos e avaliamos o nível de risco envolvido, foi muito tranquilo tomar essa decisão, apesar de ser uma decisão muito difícil. Entendemos que ao contrário de diversos projetos ficaram em stand by, tínhamos de trabalhar com a transparência e cancelar o quanto antes. Optamos também por não adiar o evento. Não queríamos reter as inscrições e os patrocinadores e em seguida anunciar uma nova data. Cancelamos mesmo o evento. Devolvemos todas as inscrições, fizemos o reembolso dos patrocinadores, mas fizemos isso para quando estivermos preparados para lançar o projeto novamente, termos um canva branco para começar o planejamento do zero. Essa foi nossa estratégia e foi o que a gente acreditou que seria melhor para o mercado, para os patrocinadores e participantes. Hoje, com a data se aproximando da data em que seria realizado nosso evento, vemos que foi a decisão mais acertada.

 

- Como a pandemia mudou o RD Summit, um dos eventos mais comentados do Brasil?

Esse ano, ele teve de ser cancelado. A gente sabe que o nosso projeto tem um impacto no mercado e a partir do momento que entendemos que ele não deveria ocorrer em 2020, sabíamos que ele isso iria impactar todo o mercado de eventos. Foi difícil porque este é o grande encontro do nosso ecossistema, o grande encontro anual, então dado esse contexto que estamos passando - as pessoas estão precisando de apoio, de suporte, de conteúdo -, o fato de não termos o RD Summit este ano realmente impactaria no nosso mercado (de clientes, de agências parcerias, de brand lovers). No início as pessoas ficaram chateadas, mas ao mesmo tempo entenderam a complexidade. Sempre colocamos a saúde das pessoas em primeiro lugar e isso minimizou um pouco o impacto.  

 

- Como a RD está se remodelando para essa realidade que se apresenta?

A RD está se remodelando muito bem. Temos um time de decisores muito bom, então todo o planejamento, desde o primeiro momento em que houve essa mudança drástica para todo o mercado, nós puxamos um plano de ação superagressivo com vários cenários. Os executivos da RD foram acompanhando os números da pandemia e os números internos, e a cada número, a cada mudança a gente tinha uma reação diferente. Na medida do possível foi positivo, a RD continua entregando muito bem - obviamente a área de eventos foi uma das mais impactada -, porém o business da Resultados Digitais (o software, a plataforma) continuam fluindo e estão indo superbem, até porque existe uma demanda do mercado muito grande, principalmente neste momento em que o único canal disponível é o online, as estratégias digitais. Então acabou que a RD conseguiu aproveitar: fez todo um plano de ação para ajudar o mercado nestes tempos difíceis, compartilhou conteúdo e foi muito propositiva nesta mudança e isso foi superbacana para que as empresas realmente se preparassem melhor neste momento difícil. Na medida do possível e dada toda a complexidade que estávamos enfrentando a remodelação da RD foi muito válida. Falando da realidade, do dia a dia do trabalho, a RD optou por toda a empresa estar remota desde então. Não temos previsão para o retorno presencial neste ano, até porque trabalhamos via inside sales, nosso atendimento é quase todo via Zoom então foi relativamente tranquila essa mudança de realidade.

 

- A RD acaba de lançar o Hostel by RD Summit. Ele é uma substituição para o RD Summit?

Nosso lançamento, o Hostel by RD Summit obviamente está substituindo o papel RD Summit, que seria supostamente o evento que  encerraria o ano, porém ele não é um RD Summit Online. Ele é uma nova versão, um novo produto, quase que uma spin-off de um produto de sucesso. Optamos por fazer um produto que funcionasse em paralelo. Então utilizamos o conceito de hostel, que vai na pegada de “já que não podemos receber você na nossa casa, que é Florianópolis, com o nosso RD Summit, preparamos um novo produto no qual vamos levar todo um ecossistema, toda uma força, todo um hostel, até a sua casa”. É muito com esse intuito de compartilhar do host, de ser inclusivo, onde todos são bem-vindos, que criamos este projeto que é totalmente focado em conteúdo. Pegamos todo o aprendizado dos nossos mais de 20 mil clientes, de todas as agências parceiras, do mercado como um todo e de todo o material que a gente cria, para analisar como foi este ano e de fato oferecer um evento no qual as pessoas saiam na frente do mercado para 2020/21. A proposta é de que as pessoas avaliem os aprendizados deste ano e tracem uma estratégia mirando a virada de chave para o próximo até - até porque este está relativamente perdido. Então este será um evento extremamente dinâmico e prático, para que as pessoas realmente consigam se planejar e antecipar o próximo ano. Quanto mais preparado o mercado estiver, mais ágeis vão ser as soluções e consequentemente maior vai ser o retorno, maior vai ser o resultado. 

 

Como será o Hostel by RD Summit?

Este é um evento focado em marketing e vendas, no qual a gente vai atuar com temas para marketing iniciante, intermediário e avançado, vendas em diversos canais, redes sociais, temas de gestão e estratégia. Então gostaríamos de receber desde o analista até os decisores. O time de eventos estudou por mais de três meses, fez benchmarking com os maiores eventos digitais do Brasil e do mundo para se inspirar e filtrar o que existe de melhor no mercado, conseguir entender as dores e oportunidades deste formato online para conseguir entregar um evento robusto e que não perca para o evento presencial. Uma das vantagens do evento online é que com ele não existem mais barreiras físicas e geográficas, então a gente consegue ter um alcance muito maior. Estamos na casa das pessoas e conseguimos ter uma alcance tanto no computador quanto no mobile. As palestras serão curtas - trabalharemos vários formatos: painéis, palestras principais, palestras normais, bate-papos… Vai ser um mix de diversos formatos que vão acontecer durante três tardes: dias 1, 2 e 3 de dezembro, das 15h às 18 horas. Optamos por fazer um evento mais curto mesmo para conseguir prender a atenção do participante, e então vamos trabalhar com uma pegada bem de broadcast de TV, inspiração em show, na Globo, também firmamos parceria com uma plataforma francesa para que possamos interagir com o participante e proporcionar networking entre participantes, marcas e palestrantes. Essa ferramenta funciona muito com o intuito de se aproximar dessas pessoas e diferente do evento presencial, em que a pessoa precisa optar por uma das oito palestras (e ficar com aquele sentimento de perda), nessa plataforma os conteúdos vão ficar gravados e disponíveis por três meses. Então além do evento, além do acontecimento, a plataforma se tornou um portal de conteúdo. Ali vamos subir conteúdo rico, as palestras disponíveis, e realmente vai ajudar as pessoas a se destacarem e evoluírem nesta jornada. 

 

Quer sugerir algum tema para a nossa coluna? Entre em contato pelo e-mail: alisson@sousb.com.br

Alisson Barcelos

  • imagem de alisson
    Alisson Barcelos Formado em Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda com mais de 25 anos de experiência no mercado de eventos. É cofundador da SB+ Eventos, empresa referência em produção de eventos em Santa Catarina e diretor de Eventos Especiais e Confrarias da ADVB/SC. No Portal Acontecendo Aqui, vai falar sobre o que mais entende e ama fazer: eventos, logicamente.