Guerra na Ucrânia também é assunto no Cannes Lions de 2022
20 de Junho de 2022

Guerra na Ucrânia também é assunto no Cannes Lions de 2022

Festival trouxe diversos profissionais da indústria da criatividade ucraniana

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook

O Palais des Festivals et des Congrès em Cannes não foi uma bolha completamente isolada do mundo real. A guerra na Ucrânia se fez presente nas discussões e ganhou o palco principal. O ex-enxadrista russo Garry Kasparov, que se tornou ativista de direitos humanos e chegou a anunciar candidatura à presidência de seu país em 2008, subiu ao palco e fez referência ao xadrez. Kasparov apontou que diferentemente de seu esporte não há um empate ou concessões na luta entre liberdade, amor e vida contra a tirania e ódio.

A conexão entre o avanço das tropas e a guerra de propaganda que a Rússia domina há anos foi destacada nas falas.

Publicidade

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, gravou uma mensagem especial em inglês para o evento, apontando como é necessário usar o poder da criatividade para lutar por liberdade e denunciar a tirania.

Ser bravo como a Ucrânia

O evento trouxe também diversos profissionais da indústria da criatividade ucraniana para a sessão “Criatividade Sob Bombas (Como a Guerra Muda a Forma Como Criamos)”, além de falas de outros profissionais sobre como é preciso se posicionar.

A comunidade criativa da Ucrânia esteve presente no Festival e contou também com a presença da cantora Jamala no palco, vencedora do Eurovision 2016; e juntos convocaram a comunidade criativa a trazer ideias e contribuir para a difusão da mensagem “Be Brave Like Ukraine”; e principalmente solicitando o apoio e espaço de mídia para divulgar a mensagem ao redor do mundo.

 

 

Richard Edelman, da companhia de relações públicas Edelman, apontou que se uma empresa permanece na Rússia neste atual contexto, o nível de confiança dos consumidores cai 38%.

Esse número é corroborado pelo fato que muitas empresas internacionais saíram do país após o começo da invasão na Ucrânia: Unilever, McDonald’s, Starbucks e várias outras podem ser citadas.

Publicidade