Série “Cannes sob o ponto de vista dos criativos de Santa Catarina”, com Edu Borges, tutano.cc
06 de Junho de 2014

Série “Cannes sob o ponto de vista dos criativos de Santa Catarina”, com Edu Borges, tutano.cc


EDU_fundo_M
AcontecendoAqui – Qual o conceito que você tem sobre o Festival de Cannes e sua importância na carreira de um criativo?

Edu Borges – O Leão tem grande importância, é um divisor de águas para qualquer profissional da área, já vi alavancar muita carreira.
Além do sonho de ir e concorrer, o festival é parâmetro para tudo, principalmente para qual caminho a comunicação esta andando, não só na criatividade, mas também no uso das novas mídias, tecnologia, fotografia e o que cada categoria pode nos proporcionar em desenvolvimento e mudanças.

 

AAqui – Poucas agências catarinenses já concorreram na premiação. Na sua opinião, por que essa pequena participação?

E. B. – Já faz um tempo que pessoas com este pensamento e que trazem propostas com caminhos na busca por este resultado estão aqui em Santa Catarina, o mercado amadureceu e está fortalecido, mesmo assim, todo ano essa pergunta vem, e em 15 anos que estou em Florianópolis, vi muita coisa mudar e acho que este Leão está cada vez mais perto.

 

AAqui – Você já esteve em Cannes acompanhando o Festival?

E. B. – Já estive para estar lá duas vezes e tive que mudar meus planos, sempre vi a importância, tanto que propus um projeto e hoje ele está se concretizando com o nosso maior portal de notícias para o mercado, um projeto que nasceu ano passado com um enviado especial e que hoje vai com muito mais força e profissionalismo. Equipe própria comandada pelo próprio Jailson e diretamente do Festival, é um orgulho para o estado ter uma cobertura local neste grande evento. É deste amadurecimento que falo.

 

AAqui – Algum trabalho que teve sua participação já concorreu em Cannes?

E. B. – Sim, duas peças inscritas, mas não foram selecionadas. Creio que por falta de maturidade, o saber inscrever e compreender o “Formato Cannes” é muito importante.

 

AAqui – Por quais motivos você não inscreve trabalhos em Cannes?

E. B. – No atual momento, o projeto que estava a frente nos últimos 5 anos não me proporcionou devido a sua construção e estruturação. Nos anos anteriores tive algumas peças que dariam boas oportunidades, mas faltou incentivo por parte das agências. O comprometimento dos proprietários das agências é muito importante, não basta a força criativa, precisa de verba, e que não é pequena.

 

AAqui – Qual trabalho brasileiro pode surpreender em Cannes neste ano?

E. B. – Cannes sempre surpreende, tem muita coisa boa pra este ano.
Não quero cometer nenhum injustiça pois tenho muitos amigos com trabalhos inscritos.

Leia Também

Série “Cannes sob o ponto de vista dos criativos de Santa Catarina”, com Leandro Tuxo – BZZ

Série “Cannes sob o ponto de vista dos criativos de Santa Catarina”, com Gabriel Araújo – OneWG

Série “Cannes sob o ponto de vista dos criativos de Santa Catarina”, com Cyntia Wehmuth Hugo, Free

Série “Cannes sob o ponto de vista dos criativos de Santa Catarina”, com Sandro Pinto – mdo

Série “Cannes sob o ponto de vista dos criativos catarinenses”, com Rogério Alves – Propague

Série “Cannes sob o ponto de vista dos criativos catarinenses”, com Stalimir Vieira – CMC

ESTREIA: Série “Cannes sob o ponto de vista dos criativos catarinenses” começa com Katiany Pinho – BZZ

WhatsApp
Junte-se a nós no WhatsApp para ficar por dentro das últimas novidades! Entre no grupo

Ao entrar neste grupo do WhatsApp, você concorda com os termos e política de privacidade aplicáveis.

    Newsletter