CANNES 2019 | Entrevista com Monique Lopes Lima, diretora de projetos especiais da África

10 de Junho de 2019

Monique será jurada da categoria PRINT & PUBLISHING

 

AcontecendoAqui está publicando uma série de entrevistas com os brasileiros selecionados para o corpo de jurados do Cannes Lions Festival que será realizado na próxima semana - de 17 a 21 de junho -  na cidade de Cannes, França. A nona entrevista da série é com Monique Lopes, diretora de projetos especiais da agência Africa.

 

Monique Lopes Lima estudou cinema em Madri na Universidad Europea, fez cursos de inovação na Singularity University, Escola Criativa de Berlim e um curso de roteiro com o "guru" Syd Field no Alumni Cultural Center. Ao longo de sua carreira, trabalhou em três frentes: televisão (MTV), produção de cinema / longa-metragem (Schurmann Film Company e Sentimental Films) e agências de publicidade (DM9DDB, Wieden+Kennedy e Africa). Monique foi eleita entre os melhores publicitários do país pela ABP (Associação Brasileira de Propaganda) em 2016. Como Diretora de Projetos Especiais da África, ela vem trabalhando com projetos que envolvem inovação, tecnologia e grandes experiências para as marcas, e tem sido responsável pelo sucesso. campanhas para marcas como Heinz, Budweiser, Telefonica, ESPN, Mitsubishi, entre outras. Seus projetos mais recentes que receberam publicidade internacional foram "Inequality Balls" para a espnW, "Tagwords" para a Budweiser - que trouxe o primeiro Grand Prix Cannes Lions na história da AB Inbev - e "MyGameMyName", que Monique apresentou ao júri no palco Cannes Lions e conquistou um Glass Lion para a Vivo da Telefonica. Ela ganhou 30 Cannes Lions, incluindo um Grand Prix em 2018, além de vários prêmios nacionais e internacionais, incluindo El Ojo, D&AD, One Show e Clio. Além disso, ela atuou como membro do júri no Festival of Media Latam 2018 e atuará como júri no Festival de Cannes Lions em 2019.

 

Qual é a sensação em fazer parte da equipe de jurados do Cannes Lions 2018?

Estou muito feliz e honrada em ter sido selecionada. Ter a oportunidade de avaliar e escolher os melhores trabalhos do mundo todo é um privilégio.

Qual é o aprendizado ou troca de experiências que você imagina ter lá com criativos de diversos cantos do mundo?

Toda a experiência em Cannes Lions quando você vai acompanhar o festival ja é muito bacana. Poder ir como juri, conhecer profissionais de todos os lugares do mundo e ter a oportunidade de trocar experiências é a cerejinha em cima do bolo. Cada pais tem a sua cultura, a criatividade vem do nosso repertório por isso essa troca é muito rica, a diversidade e pluralidade de pessoas deixa esse encontro muito mais interessante.

O Festival passou por uma grande reformulação nas 3 últimas edições. O que você poderia citar sobre essas mudanças e o que será avaliado em PRINT & PUBLISHING, Categoria que você vai julgar?

Print é uma categoria que esta a bastante tempo ai, acredito que a grande mudança vem dos próprios trabalhos inscritos. As perguntas que espero responder por lá, são… "O que podemos fazer para transcender o Print? Para que o print a leve a interagir em outro ambiente.” como por exemplo foi o caso da campanha Tagwords para Budweiser, que fizemos e trouxe o primeiro Grand Prix em print na historia da AB InBev. ou “Qual propósito podemos atrelar a essa história?” “Que problemas podemos resolver com essa marca? E como em um único print podemos fazer isso?” um bom exemplo para o proposito em print é a campanha GunxGun da DDB Nova Iorque. 

Cite um grande trabalho da sua agência que vai concorrer Cannes neste ano.

Estou apostando bastante no projeto #LifePrint que fizemos para a Ampara Animal em parceria com a Cia Maritma e outras marcas. Registramos a marca “oncinha” e as onças pintadas (que estão em extinção) vão receber royalties pelo uso de sua imagem pela primeira vez na historia. Fizemos estampas através das fotos das próprias onças e criamos peças para uma coleção especial da Cia Maritma. Ao final, convidamos outras marcas a participarem. Revertemos 100% dos lucros com as peças para a Ampara Animal e estamos ajudando a tirar as nossas onças dessa triste situação.

O que é mais importante em Cannes? Ganhar um leão, palestras, conhecer pessoas?

Acredito que Cannes é um combinado de tudo. Claro que é importante ter o trabalho reconhecido com um leão, mas a troca com as pessoas que encontramos é muito bacana também. E o conteudo de palestras que assistimos no festival é cada ano mais interessante, pelo que já vi desse ano vai ser muito bom.

Por que o Brasil valoriza tanto Cannes? Um dos países com maior número de inscrições, visitantes e leões.

Acredito que Cannes ainda tem a barra alta quando se fala de qualidade de trabalho. É um festival que preza muito por isso. Com um time de juri sempre plural de todos os lugares do mundo, eles conseguem extrair diferentes perspectivas sobre um mesmo trabalho e assim, só é premiado o trabalho que realmente é unanime dentre diferentes vivências no mundo. Por isso, nós brasileiros acreditamos que é um otimo lugar para inscrever o nosso trabalho e entender se aos olhos do mundo ele é considerado realmente bom.

O que não falta na sua bagagem para Cannes?

Meus cartões de visitas, pois como diz uma frase que gosto “Your network is your net worth”.