CANNES 2019 | Entrevista com Dedé Eyer, diretor executivo nacional de criação da NBS

21 de Maio de 2019

Dedé será jurado da categoria Health & Wellness

AcontecendoAqui está publicando uma série de entrevistas com os brasileiros selecionados para o corpo de jurados do Cannes Lions Festival que será realizado de 17 a 21 de junho de 2019 na cidade de Cannes, França. A quarta entrevista da série é com Dedé Eyer, National Executive Creative Director da NBS – The Nobullshit Agency.
Com 20 anos de experiência, criou campanhas para clientes como: Nike, Coca-Cola, Mitsubishi, Citroën, GM, O Boticário, Nivea, Ceras Johnson, Kraft Foods, Brahma, Descoberta, FOX, Bob's, Correios, Ponto Frio, e para as três principais operadoras de telefonia: Oi, Vivo e TIM.
Conquistou vários prêmios e entre eles estão 6 Lions em Cannes, GP da FIAP, GP do El Ojo, 2 GPs no Festival Brasileiro de Publicidade (ABP), 4 GPs no Prêmio Colunistas, Festival de Londres, Clio, NY Festivais , NYAD, D&D, CCSP, CCRJ e Wave Festival. Ganhou duas vezes o prêmio Rogerio Steinberg como o diretor de arte mais premiado do ano. Leia a seguir o que ele nos disse:

 

Qual é a sensação em fazer parte da equipe de jurados do Cannes Lions 2018?

É uma honra. Eu me lembro de moleque, começo de carreira, cheio de ambições, e esta nem sequer ser uma delas, estava muito acima de qualquer possibilidade.

 

Qual é o aprendizado ou troca de experiências que você imagina ter lá com criativos de diversos cantos do mundo?

Um Juri é uma mistura de visões, culturas e critérios. Cannes é a mesma coisa mas com o mais alto nível de interlocução possivel.

 

O Festival passou por uma grande reformulação nas 3 últimas edições. O que você poderia citar sobre essas mudanças e o que será avaliado em Health & Wellness, Categoria que você vai julgar?

Eu acho que o Festival se tornou um grande congresso onde se discute o futuro da comunicação e a criatividade como ferramenta de negócios.  As palestras se multiplicaram e o novo formato incluiu os clientes, o que ajudou a recuperar o status dos Leões pra fora do universo de criação. Por outro lado o crescimento do número de categorias e consequentemente de ganhadores tende a fazer o oposto. Ano passado eu gostei do encolhimento do evento, com menos megalomania e mais profundidade. Acho que talvez a quantidade de leões também mereça uma revisão.

 

Cite um grande trabalho da sua agência que vai concorrer Cannes neste ano.

Eu gosto de Hashtags da Arte exatamente por não ser grande, por ser simples. Mas normalmente não gosto de falar muito sobre inscrições, já tive peças consideradas favoritas que nem sequer foram shortlist e peças que ganharam leão inesperadamente. Depende muito do que o juri decide valorizar e do que foi feito no resto do mundo.

 

O que é mais importante em Cannes? Ganhar um leão, palestras, conhecer pessoas?

Eu acho que o mais importante é você usar o festival pra melhorar seu critério. Isto pode ser feito através de palestras, conversas ou até da comemoração de prêmios.

 

Por que o Brasil valoriza tanto Cannes? Um dos países com maior número de inscrições, visitantes e leões.

Cannes é um negócio, o resultado do festival interfere na valorização das ações dos grupos de comunicação no mercado financeiro. Isto é prova da relevância e credibilidade do evento. Então é natural que as principais forças do mundo invistam bastante e o Brasil é uma delas. 
O outro ponto é a distância. Pra nós tem que ser um evento ultra programado, não dá pra você comprar um vôo da Ryanair, passar 2 dias pela Riviera Francesa e voltar pra casa. Então tem que ser decidido antecipadamente, incluído em orçamento e etc.

 

O que não falta na sua bagagem para Cannes?

Boné, por razões óbvias.