Cannes 2019 | Apresentando a mídia adaptável, um novo formato para agências, anunciantes e criativos

20 de Junho de 2019

A mídia se adaptará ao usuário, pois é capaz de ler suas emoções.

 

Aconteceu nesta quinta-feira 20/6, a conferência "Introducing Adaptive-media, a New Format for Agencies, Brands and Creators", apresentando a mídia adaptável, um novo formato para a publicidade, no palco interativo do Cannes Lions. Proposta pela MorphCast

Estavam presentes
> Stefano Bargagni, fundador e CEO da MorphCast
> Matthew Mayes, chefe de estratégia da MorphCast
> Martin Percy, diretor de film interativo na InteractiveFilm.org

O objetivo dessa conferência era responder a questão: Como os criativos podem criar experiências de campanha altamente personalizadas em tempo real, sem a necessidade de dados pessoais?

Matthew começou introduzindo a definição de Adaptive-media:
Adaptive-media (Mídia adaptável) é um formato de análise facial e vídeo, criado pela Morphcast, baseado em AI projetado para a indústria de publicidade se adaptar naturalmente ao visualizador em tempo real com base em como eles aparecem e como reagem, assim como um ser humano reage instintivamente e se adapta um ao outro.

Com essa nova tecnologia a mídia se adaptará ao usuário, pois é capaz de ler suas emoções. Ele afirmou que com essa mídia programática os investimentos em publicidade terão um retorno maior, pois muitos dos cliques em propaganda e banners são acidentais. Com o Adaptive Media o anunciante será capaz de reconhecer quando o consumidor está realmente interessado em clicar.

Ele explica que o Adaptive Media não filma, nem grava e é totalmente compatível com GDPR. De acordo com ele as mídias adaptáveis possibilitarão a criação de comunicações publicitárias que se adaptam ao espectador por meio de smartphones ou outros dispositivos baseados em câmeras.

Matthew destacou que a maior parte dos Smartphones em circulação hoje já são compatíveis com a tecnologia.

O Adaptive Media é capaz de reconhecer emoções através de expressões faciais, mas também sugerir a idade do usuário e assim lhe propor conteúdos mais relevantes.

Matthew fez uma demonstração da ferramenta e propôs aos espectadores para testar. Para usar essa tecnologia é preciso ter o Morph Player instalado, pesa somente 300k e funcionará junto com outros aplicativos.

O aplicativo não salva os dados nem os compartilha, mantendo a privacidade do usuário.

Além de introduzir uma nova maneira de anunciar, a Morphcast tenta desenvolver uma nova maneira de se ver anúncios, onde os usuários serão remunerados ao utilizarem o aplicativo e ao visualizarem publicidades.

Martin continuou a sessão lembrando que a mais antiga forma de comunicação é a conversa. Ele afirmou que as propagandas precisam criar uma conversa com quem as vê, mas que a maior parte somente se contenta de se expôr sem engajar uma conversa. Martin tentou explicar que os espectadores precisam ter uma experiência de vida real.

Matthew continua explicando que estamos entrando em uma nova era da publicidade, que antes era linear, e graças ao AI(Inteligência Artificial) e AR(Realidade Aumentada) ela está se tornando interativa e abre vários caminhos. Ele salientou que o adaptive-media é uma nova ferramenta que foi desenvolvida para mobile porém pode funcionar em qualquer tela digital com câmera.  

Stefano finalizou a sessão explicando como a ferramenta foi desenvolvida e porque ela só pôde ser finalizada e utilizada agora.

Ele citou que o projeto custou 10 milhões de euros, e começou em 2014, e que agora a maior parte dos smartphones possuem uma câmera frontal, o que possibilita a difusão da ferramenta em massa.