Criatividade importa. Competição estimula a criatividade dentro das grandes agências ou empresas

01 de Julho de 2018

Ela começou com a campanha USA WOMENS GYMANStics for Under Armour,

O objetivo de Myriam era mostrar porque a criatividade é importante para os negócios, para a mudança e para o bem. Ela apresentou 5 filmes de cases vencedores do Lions nos últimos anos. Explorando temas e tendência.

 

 

Ela começou com a campanha USA WOMENS GYMANStics for Under Armour, centrada na força e empoderamento da mulher. "Cannes gira em torno dos trabalhos, mas as vezes as pessoas se distraem. Vejam neste mapa (aponta para o telão) que importantes marcas de tecnologia lutam a  cada ano por seu espaço, tirando o foco da criatividade no marketing".
Ele indaga na sequência: qual o papel da criatividade? E cita as últimas tendências de tecnologia que entraram e saíram, AR, AI,VR, Machine Learning, etc... Tendências de tecnologia entram e saem, pois são ferramentas, a criatividade é o que realmente faz a diferença.
 

Ela nos mostra em seguida gráficos que comparavam o desempenho de campanhas que receberam prêmios e de que campanhas que não receberam prêmios. E evidencia o desempenho de campanhas premiadas que apresentam 95% mais resultados do que as não premiadas no Cannes Lions.
 

 

 

Creative Benchmarking
Myriam explica que a competição em si estimula a criatividade e que dentro das grandes agências ou empresas - como no caso da Heinneken -  que estimula seus criativos os inscrevendo no Cannes Lions e isso tem gerado um impacto na criatividade e nas vendas de suas campanhas nos últimos anos. "Isso explica porque as marcas desejam tanto estar presentes no Cannes Lions", reflete a executiva.

Burger King
Foi a marca criativa do ano em 2017 e como o fato de estar mais envolvida  no festival alavancou uma mudança na criatividade em suas campanhas e um aumento progressivo considerável em suas vendas.

A verdade
Myriam explica que hoje as pessoas querem a verdade. Ela mostrou a  campanha THE DNA JOURNEY, para  Momondo, que tratava de discriminação e racismo, onde participantes declaravam quais países e origens eles discriminavam, em seguida uma análise do DNA deles era feita e eles descobriam que tinha essas origens em seus genes também.

 

 

A transparência é importante.
A campanha da LO & BEHOLD para Netscout é outro exemplo de como é necessário que uma campanha nos conte a verdade, para que o público não duvide da sua natureza e compartilhe a ideia.

Inclusão
De acordo com Myriam hoje é essencial para as marcas serem inclusivas. Ela mostrou a campanha We’re the Super Humans para o Channel 4, que explora o poder dos deficientes físicos de maneira emocionante. Este filme ganhou o GP na Categoria FILM em 2017.

 

Outra campanha utilizada na apresentação foi a da TV 2 Denmark, que aborda as diferenças por meio dos sentimentos e experiências de vida que compartilhamos.

FUN
Myriam nos apresentou um exemplo de como as campanhas devem ser engraçadas, nos dando o exemplo do Cheetos Museum,da Netscout, que premiava os seus clientes com 10 mil dólares se eles tirassem uma foto de um salgadinho Cheetos que tivesse o formato de uma outra coisa (um objeto, um animal, etc...). E a campanha Ostrich, da Samsung, que mostra a experiência de vôo de um avestruz com um óculos de VR, e seu desejo de realmente voar.

 

Quem mais está fazendo sucesso com a criatividade?
Myriam apresenta 9 marcas que ganharam prêmios nos últimos anos. Não são grandes marcas, como Apple ou Facebook, mas suas mensagens dizem que qualquer um pode ser criativo, de um serviço de envio de newsletter ao um produtor de sal, a criatividade se aplica em qualquer área. Ela apresentou a campanha para planos de saúde “Ways In: Our Song”, para United Health Care, como exemplo, e finalizou com uma campanha engraçada da Volkswagen.