MEMÓRIA | Como vencer o atraso das agências com criativos mutantes | Cannes Lions

07 de Março de 2018

Matéria publicada originariamente no dia 22 de junho de 2017, diretamnte de Cannes

 

Na manhã desta quinta-feira, 20|06, foi realizada no Lions Entertainment uma palestra de Carl Addy, diretor de criação da The Mill. Com duração de 30 minutos, Addy tentou mostrar para seu público com uma apresentação composta por trechos de entrevistas com diferentes criadores de conteúdo de áreas diversas, como ilustradores, músicos, diretores de arte entre outros.

"As coisas estão mudando constantemente, e mudando na forma e na maneira de se produzir propaganda. E nós  precisamos nos dapatar a essas mudanças. Então não podemos ficar bloqueados, pois as coisas estão convergindo e se encontrando", afirmou Addy.

Em resumo, Addy e os entrevistados que ele mostrou tentam explicar que o criativo de hoje não pode mais se dedicar somente a uma área. Não basta somente dominar uma técnica é preciso se diversificar e se tornar um super criativo.
"Estamos num mundo não linear e agora podemos começar a ser mais humanos. Tecnologias agora conversam entre si e você não tem mais somente um canal. Os canais se multiplicaram", disse o publicitário.

Ele explicou que as barreiras da carreira se foram, você não precisa entrar numa escola sabendo exatamente onde você vai terminar. O profissional tem que estar aberto para que possa produzir para diferentes mídias.

Em um dos trechos das entrevistas apresentadas, foram citadas pesquisas que mostraram que a maior parte dos criativos tem mais de um emprego. Addy explicou que as agências tem que se adaptar a essa realidade, para não ver seus grandes talentos saírem e migrarem para outra empresa. Um criativo deve ter liberdade de atuar em várias áreas, evitando que tenha que completar sua renda em outras atividades.
"Tornar-se um criador de conteúdo sem rótulo é algo incrível, pois isso nos torna flexíveis já que a essência do que fazemos está na ideia" declarou Addy.

Histórias fragmentadas
Carl Addy ainda falou do fato que com os múltiplos canais, a maneira de contar histórias está se modificando.
"Você pode entender parte de toda uma história recebendo peças fragmentadas dela através de diferentes mídias. A maneira tradicional de trabalhar está deixando de existir e as marcas estão procurando essas novas maneiras. Por isso, a importância da agência abraçar esses novos meios e esse novo jeito de comunicar. Criativos não devem somente responder a um brief, mas devem fazer algo que vai agradar a audiência e você deve aumentar esse audiência", completou Addy.

Seja rápido
Addy passou rapidamente pelo tema de estar sempre à frente, comentando o fato que criativos precisam estar atentos às mudanças e serem rápidos para acompanhar a evolução. "Estar sempre atento é importante, estar no lugar certo e na hora certa." citou um dos entrevistados.

"Nos temos todos as ferramentas para ser superrápidos. Nós temos que fazer tudo, por exemplo para fazer um album de musica, devemos escrever, fazer a musica, fazer a capa, imprimir, distribuir, temos que ter diferentes habilidades para fazer tudo a tempo", destacou Addy.

Para finalizar a palestra ele falou sobre colaboração: "A colaboração é algo importante nesse mundo mutante. As plataformas sociais permitem que isso aconteça de maneira natural desde o momento que damos uma curtida ou fazemos um compartilhamento já estamos colaborando. Se estamos todos engajados na criação, quanto mais criamos mais ganhamos", disse Addy.

Nota da redação: Essas são tendências que podemos ver aqui no Cannes Lions neste ano, e como citou Addy "existe um atraso por parte das agências".