3 anos escrevendo sobre e-commerce: o que mudou?

11 de Março de 2015

Nesse mês de março eu completo três anos escrevendo sobre ecommerce parao Acontecendo Aqui. Nesses tempo obser

Nesse mês de março eu completo três anos escrevendo sobre e-commerce para o Acontecendo Aqui. Nesses tempo observei e mostrei para vocês, leitores, muitas mudanças que ocorreram nesse período. Hoje vou relembrar as três principais.

3anos_thumb

  1. Confiança do consumidor: O período entre 2012 e 2015 é um marco para as vendas online, pois as pessoas passaram a perder a desconfiança que tinham em relação aos e-commerces. A popularização desse serviço, as vantagens em relação às compras em lojas físicas, como no caso de passagens aéreas, e a facilidade na pesquisa e no fechamento da compra acabaram ampliando o número de consumidores. Hoje está cada vez mais difícil encontrar alguém que nunca comprou pela internet, seja uma passagem de avião ou um ingresso para o teatro.

    O número de pedidos em e-commerce quase triplicou nos últimos três anos, indo de 66,7 milhões para 103,4 milhões. O número de consumidores de consumidores também aumentou, indo de 42,2 milhões, em 2012, para 61,6 milhões no fim de 2014. Esse crescimento foi ainda mais expressivo pela participação dos idosos nas compras online. No último ano eles representaram 18,4% dos internautas. Desses, 45% realizavam compras no ambiente online,cerca de 8% dos consumidores totais.

  2. A China passou a ser o maior e-commerce do Brasil: Como falei em um artigo anterior, o e-commerce chinês AliExpress se tornou um dos maiores varejistas do Brasil. Esse resultado foi atingido em abril de 2014 e representa a busca do consumidor por baixos custos de produto e entrega, mesmo que demore meses para chegar. A variedade de estilos também é um dos fatores para a popularização desse e-commerce. Essas vantagens, aos olhos do consumidor, criaram um desafio para o comerciante brasileiro: buscar um nicho no mercado onde não precisarão disputar por preço.

  3. E-commerce voltado para indústria: Nos últimos anos começaram a surgir cada vez mais indústrias que apostam no canal de vendas online como uma forma de se diferenciar da concorrência. O e-commerce B2B veio para ajudar a indústria a tornar suas transações mais rápidas, possibilitar a compra direta do cliente, sem necessidade de utilizar um representante comercial, atingir regiões onde o representante comercial não conseguia atender. Tudo isso preservando as relações comerciais que ele já tinha, seja revendedores, representantes, clientes com mais tempo de relacionamento ou mais crédito.

    Esse tipo de negócio está dando tão certo que a expectativa de volume financeiro gerado em 2015 é de R$ 1,74 trilhão para os setores da indústria e do atacado. Esse número inclui todas as transações via portais e-commerce B2B e EDI.

 

Esses três anos trouxeram muitas mudanças no cenário do e-commerce nacional, mas também pessoalmente. Por meio dessa coluna, pude dar visibilidade para uma área que era pouco falada e criar oportunidades de negócios que seriam difíceis sem esse canal. O Acontecendo Aqui possibilitou um crescimento profissional e a construção da imagem de especialista em e-commerce que tenho hoje, à frente da Flexy e da ABComm/SC (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico de Santa Catarina). Por esses motivos gostaria de agradecer pelo espaço e pela liberdade de escrever minha opinião, bem como as conexões, relacionamentos e oportunidade que aconteceram a partir da exposição que tive no portal.

Cristiano Chaussard

  • imagem de crischau
    Cristiano Chaussard é especialista em e-commerce, empresário proprietário da Flexy Negócios Digitais , exerce função voluntária como diretor de expansão e associados ADVB-SC (2009-2016). Um dos fundadores do Grupo Digital de Santa Catarina, leciona Marketing e Comércio Online na Pós-Graduação da Universidade Estácio de Sá. Pós-graduado em Tecnologia pela USP, MBA em Gestão do Conhecimento e Inovação pela USP e Pós-graduando em Marketing Estratégico pela ESPM. Escreve semanalmente no Portal AcontecendoAqui. Para contato com o colunista acesse: Twitter - @cristianojoyer Facebook - http://www.facebook.com/cristianochaussard Linkedin - http://br.linkedin.com/in/cristianochaussard Sobre o colunista - http://about.me/cristianochaussard