Portal de informação produzido por mulheres-mães ganha o Social Good Brasil Lab 2015

16 de Novembro de 2015

“Vai ter muita mãe sim!”, essa foi a frase gritada por Ligia Moreiras Sena e Nani Feuser quando subiram ao palco para receber o primeiro lugar no Social Good Brasil Lab 2015, pela plataforma de informações Cientista Que Virou Mãe,  que conquistou o maior prêmio do Lab após uma votação apertada e muito emocionante. O projeto, criado por Ligia Moreiras Sena e Nani Feuser, conseguiu o investimento semente de R$20.000 reais para se estruturar e dar continuidade às ações previstas por Ligia e Nani.

Baseada na proposta do financiamento coletivo (crowdfunding), a plataforma de informação Cientista que Virou Mãe produz conteúdo especializado sobre os direitos das mulheres e da infância. Mais de 30 mulheres-mães irão escrever semanalmente sobre  esses assuntos, além de denunciar violências, principalmente contra as mulheres grávidas. Hoje,  a Cientista que Virou Mãe já possui uma comunidade com 75 mil pessoas em sua fanpage no Facebook, além do blog – agora a plataforma –, que tem uma média de 20 mil acessos por semana.  

Nas redes sociais, antes e depois do anúncio do prêmio, milhares de pessoas, entre elas mulheres e mães, escreveram mensagens de carinho e apoio. O Cientista Que Virou Mãe é a primeira plataforma de informação feita exclusivamente por mulheres que tratam sobre tais temáticas, e já soma mais de quatro milhões de visitas.