Empresa catarinense lança serviço para impulsionar negócios na internet

19 de Outubro de 2019

O serviço Evolução, oferecido pela InCuca, está ajudando as empresas a tomarem melhores decisões nos negócios

 

A mudança no comportamento do consumidor, o aumento da concorrência, a busca por novos e maiores mercados e a necessidade de uma tomada de decisão rápida e precisa, estão impulsionando a transformação digital de negócios tradicionais. Um levantamento realizado pela Capgemini mostrou que 63% das empresas brasileiras já se digitalizaram, e agora o desafio é saber como utilizar os dados que estão sendo gerados para evoluírem seus negócios, principalmente na internet.

“O Brasil é o maior responsável pelos investimentos em tecnologia na América Latina e situações como a crise econômica que passamos impulsionam essa transformação digital e uso de dados para tomadas de decisão nas empresas”, comenta Lucas Stefanello, CEO da InCuca, exemplo de empresa que percebeu essa mudança e agora mudou seu posicionamento de mercado. “A InCuca sempre foi reconhecida pela qualidade das entregas que fazia, mas as empresas passaram a exigir mais e querer ver os resultados dessas entregas”, conta o executivo.

 

Ampliação dos serviços
Essa nova demanda do mercado levou a InCuca a adicionar em seu portfolio um novo serviço, chamado de Evolução, que inclui, além dos serviços que já oferece de criação, manutenção e suporte a tecnologias web,  ações de análise avançada de dados para o negócio tomar as melhores decisões de gestão, de marketing estratégico e de marketing digital . “Nossas experiências e as tendências de mercado mostram que negócios que não se tornarem data-driven, isto é, que não adotarem os dados como fonte primária de informação, correm o risco de ficarem para trás. Gigantes como Google, Facebook, Amazon utilizam justamente a filosofia data-driven para dominarem mercados”, lembra Stefanello. 

Esse tipo de serviço é ideal para empresas que possuem setor de marketing internamente ou são assessoradas por agências focadas em marketing digital, e cuja  decisão de corrigir os fatores de impacto nos resultados é decisivo para o crescimento. “Esse é o público que mais se beneficia com o Evolução, pois com a análise e monitoramento dos dados do ambiente são direcionadas ações para atingir as metas e entregar os resultados desejados", complementa Lucas. 

 

Posicionamento
A mudança de posicionamento, de simples empresa desenvolvedora de software para empresa responsável pela evolução de negócios na internet, está sendo bem recebida pelo mercado. “Todos os clientes que já contrataram esse serviço têm demonstrado um grau de satisfação muito maior do que aqueles que nós só entregamos alguma tecnologia e não cuidamos da evolução dela”, revela Stefanello.

Apesar da mudança, a tecnologia continua sendo a base do trabalho da InCuca para evoluir negócios na internet. Isso porque, segundo Stefanello, empresas que passam pela transformação digital ou que já buscam melhores colocações na internet apresentam grande dificuldade em guiar suas ações com base em dados técnicos para alcançar resultados. “Muitas delas estagnaram com ações de marketing digital e precisam melhorar tecnicamente seus ambientes para avançar e passar a concorrência, seja com uso, interação, conversão, tecnologias, segurança ou upgrades”, comenta. 

Para Lucas, o segredo do novo serviço está no monitoramento constante dos ambientes digitais dos clientes e na aplicação de tecnologias e ferramentas modernas, que são aplicadas de acordo com a necessidade de evolução de cada cliente. “Tudo é personalizado, porque cada negócio tem desafios diferentes e formas de resolução diferentes, e para entender suas reais necessidades e saber o que fazer para resolvê-las aplicamos ferramentas de web analytics avançadas nos ambientes digitais dos clientes”, detalha Lucas. 

O próximo passo da empresa é automatizar a tomada de decisões com base em dados e inteligência de mercado, e para isso já estuda como aplicar tecnologias como Inteligência Artificial,  big data e machine learning, ainda pouco exploradas pelas empresas brasileiras. “Acabou a era em que se tomava decisão com base em feeling, agora é a vez dos dados”, conclui o empresário.