A disrupção do Airbnb, Itaú e Waze em debate no 8º Fórum de Marketing Empresarial

21 de Agosto de 2017

Foto: Gustavo Rampini

 

O primeiro painel do 8º Fórum de Marketing Empresarial, realizado pelo LIDE em parceria com o Propmark, abordou o tema “Novos Modelos de Negócios: Redefinindo a equação de custo x benefício e a visão de inovação”. Foram 3 palestras realizadas por André Pereira, country manager do Waze; Andrea Pinotti, diretora de marketing do Banco Itaú e Leo Tristão, diretor-geral do Airbnb. Eles também trataram do que é valor para o consumidor nesta época de economia colaborativa.
 Marcos Quintella, CEO do Grupo  Newcom abriu o painel destacando a importância de participarmos de um evento como este e vivenciar momentos como repletos de  inspiração. "Depois de um fim de semana como este não dá para sair como chegou. Será cheio de dicas sobre inovação e inspiração com pessoas que se conhecem mas que nunca falaram sobre seus negócios e a oportunidade de iniciar uma relação produtiva", ressaltou Quintela.

 

Como as empresas disruptivas atuam nos seus segmentos
André Loureiro, CEO da Waze explicou que o primeiro nome penado para a empresa era Wais, mas que por falta de dinheiro para comprar o domínio optaram por Waze. "Foram as pessoas que fizeram o Waze ao criarem e compartilharem mapas rakeados em suas regiões. A grande vantagem desde sua criação foi terem escolhido o iPhone que garantiu escala para a plataforma. Waze foi criado com o propósito de colaboração a partir de uma folha em branco que construía mapas por camadas.

 

Ondas de tecnologia
O início do Waze apostou no iphone e o próximo device serão os carros. Em 2020 eles já estarão sendo construídos com outra proposta e o exemplo disso é o Ônix que já está sendo construído a partir da base do Waze.

 

Novidade
O Waze está estudando na Califórnia o programa de carona. Há 80 milhões de motoristas no mundo usando waze. Para cada carona gerada é um carro a menos na rua e isso é o propósito de colaborar com a mobilidade nos grandes centros.

 

Andréa Pinotti, diretora de marketing do Itaú iniciou dizendo que as pessoas mudaram e continuam mudando, só que de maneira mais rápida. Elas querem mais transparência na relação com os bancos. Atender a expectativa de relevância que o cliente espera e a criação de produtos cada vez mais relevantes é o grande desafio. O cliente virou digital e o Itaú criou e continuará criando produtos e serviços com base nisso. “As pessoas são mais protagonistas, informadas, conectadas e querem sugerir e são parceiras na co-criação de produtos. E como é  inovar? “Trabalhamos em cima da experiência do consumidor e é cada vez mais importante transformar a experiência do banco em um momento bom do dia”.

A personalização dos serviços vem de várias formas. A criação de produtos como o APP Light é um desses casos. E a fonte de inspiração para a criação deles vem dos nossos clientes que são ouvidos pela maioria dos 90.000 colaboradores do Banco no Brasil. Esses insights têm possibilitado a criação de produtos em escala, mas sempre com o olho na personalização. Inovação é tudo, atender bem, fazer propaganda e todas as áreas são sempre pensado com tecnologia que cada vez mais aproxima pessoas de seus amigos. “Nós temos alguns departamentos dedicados a fazer testes de serviços online com os clientes para personalizar, cada vez mais, as ferramentas que oferecemos, seja por telefone, sms, pesquisas por meio dos nossos colaboradores...”.

 

O diretor-geral do Airbnb no Brasil, Leonardo Tristão disse que desde seu surgimento há 9 anos o aplicativo busca entender as pessoas. Por isso, hoje além de alugar casas e apartamentos a plataforma cria viagens customizadas a partir dos anseios de seus usuários. "E, cada vez mais, o Airbnb quer ampliar o conceito de compartilhamento no mundo", disse Leonardo Tristão. "A economia criativa deve gerar US$ 335 bilhões até 2025, com foco em casas e carros.  
Para 84% dos mais jovens a tecnologia serviu para aproximá-los dos amigos. Para 86%, a vontade de experimentar uma nova cultura e que faz com que queiram viajar pelo mundo. E 75% consideram melhor ter a experiência do que a posse das coisas", afirma o executivo.

Tristão informou que nas primeiras horas depois de ocorrido o atentado em Barcelona, 80 famílias colocaram suas casas a disposição de familiares dos acidentados gratuitamente.
 

Cobertura do Fórum pelo AcontecendoAqui, oferecimento: