Jung e inteligência artificial melhorando o posicionamento de marcas nas redes sociais

10 de Setembro de 2019

Vivemos numa era hiperconectada, com milhões de uploads de vídeos e imagens em segundos

 

Parece até loucura querer juntar dois temas de épocas tão distantes uma da outra: os arquétipos do psiquiatra Carl Jung e a inteligência artificial moderna. Mas é uma combinação irresistível e que nos ajuda a analisar a mensagem emocional que marcas e empresas querem realmente transmitir.

 

Esses dois elementos são partes essenciais do NeedScope, uma solução que usa técnicas projetivas específicas e relacionadas aos arquétipos de Jung para poder desvendar a emoção por trás de uma marca. Ele também combina a expertise de profissionais e um sistema de inteligência artificial para identificar se uma marca está transmitindo o posicionamento desejado, se este é consistente ao longo do tempo.

 

Nós vivemos, porém, em uma era hiperconectada, com milhões de uploads de vídeos e imagens em segundos! Sem falar que as redes sociais potencializaram a ação da comunicação de marcas e, principalmente, dos seus usuários, que agora têm o poder de derrubar uma marca.

 

E daí a importância de uma comunicação que seja verdadeiramente atraente e consistente dentro das redes sociais: qualquer mensagem mal compreendida pelo público ou um desencontro entre a personalidade de uma marca e seus posts pode gerar um buzz negativo e até mesmo crises de imagem.

 

Mas onde a inteligência artificial entra nisso tudo?
As marcas, hoje em dia, postam um número grande de imagens para comunicar seu posicionamento e transmitir sua identidade. E por isso, o NeedScope conta com o AI Decoder, um modelo de análise rápida, baseado em redes neurais e dados de diferentes estudos realizados em 30 anos, para entender a simbologia das comunicações considerando os arquétipos de Jung como base, dando assim uma resposta que a marca possa usar para melhorar sua comunicação.

 

Tive a oportunidade de apresentar o AI Decoder do NeedScope para o público da Social Media Week e como exemplo analisei algumas das imagens utilizadas pela organização do evento para trazer as respostas que esse modelo de inteligência artificial pode nos proporcionar: