FIESC firma parceria com instituto alemão para desenvolvimento de produtos inovadores

14 de Outubro de 2016

A Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) firmou parceria com o Instituto Fraunhofer para desenvolver produtos inovadores nos Institutos SENAI de Inovação em Laser e em Sistemas de Manufatura, localizados em Joinville. A cooperação foi estabelecida nesta sexta-feira (14) pelo presidente da FIESC, Glauco José Côrte, que lidera missão à Alemanha, durante reunião no Centro de Aplicação de Tecnologia de Microprodução do Fraunhofer em Berlim. A agenda do grupo catarinense na capital alemã antecede o Encontro Econômico Brasil-Alemanha (EEBA), que será realizado de 16 a 18 de outubro em Weimar, no Estado da Turíngia, região central do país europeu. Também integram a comitiva o 1º vice-presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar; os vice-presidentes regionais da instituição, Lino Rohden e Ingo Fischer, e o diretor regional do SENAI-SC, Jefferson Gomes de Oliveira.

O Fraunhofer é a maior organização de pesquisa aplicada da Europa, com uma equipe de 24 mil pessoas em mais de 80 centros de pesquisa, incluindo 66 Institutos na Alemanha. Realiza pesquisas aplicadas para empresas públicas e privadas. Côrte lembra que o SENAI, tanto em Santa Catarina quanto em nível nacional, tem uma forte parceria com a instituição alemã, que presta consultoria nos Institutos SENAI de Inovação em Joinville e Florianópolis. “O Instituto Fraunhofer tem pesquisa e tecnologia bem desenvolvidas e nosso objetivo é trazer esse conhecimento. Nossos Institutos já estão operando em condições iniciais e poderemos trazer know-how e pesquisadores para trabalhar nas nossas instalações”, disse.

O presidente da FIESC também chama a atenção para a incorporação da digitalização à atividade industrial, que resultou no que é chamado de indústria 4.0, uma referência à quarta revolução industrial. Fruto da combinação de tecnologias que possibilitam a integração do mundo real com o virtual, a indústria 4.0 vai promover o encurtamento dos prazos de lançamento de novos produtos no mercado, maior flexibilidade das linhas de produção, aumento da produtividade e da eficiência no uso de recursos, além do aumento da capacidade de integração das empresas em cadeias globais de valor. Além da Alemanha, Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul também estão à frente desse processo no mundo.

No Encontro Econômico Brasil-Alemanha, Côrte vai ser um dos debatedores do fórum que vai abordar os temas indústria 4.0 e a nova política industrial do Brasil, com destaque para as pequenas e médias empresas. O painel vai debater os desafios brasileiros para a inserção do País na indústria 4.0 e como evitar o aumento do gap de competitividade entre o Brasil e alguns de seus principais competidores.

Nesta edição do EEBA também estão programados painéis com a participação de empresários dos dois países, presidentes de empresas, representantes do governo e renomados especialistas em áreas como inovação, políticas econômicas e comerciais e as oportunidades de negócios; infraestrutura; mobilidade urbana; compras públicas e cadeia de fornecimento; saúde e combate a epidemias; estratégias para engenharia mecânica no Brasil; segurança e defesa e indústria ótica. Paralelo ao Encontro serão realizadas rodadas de negócios e visitas técnicas a empresas dos segmentos ótico, logístico e farmacêutico. A Turíngia é um dos Estados mais industrializados da Alemanha e se destaca pelo desenvolvido setor ótico, berço de empresas como a Carl Zeiss.

O EEBA é organizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e sua congênere alemã Bundesverband der Deutchen Industrie (BDI). É realizado anualmente desde 1982 de forma alternada, sendo um ano no Brasil e outro na Alemanha. O objetivo é promover debates sobre questões de interesse recíproco. O evento é considerado o mais importante da agenda bilateral. No ano passado, o EEBA foi realizado em Joinville. Santa Catarina também sediou os encontros em 1994 (Florianópolis) e em 2007 (Blumenau).