Aluno da Estácio de Sá Florianópolis recebe prêmio Hackathon 2019

23 de Outubro de 2019

Sistema criado por Lucas Araldi pode otimizar atendimento pelo SUS

O estudante do 2º período do curso de administração da Estácio de Sá Florianópolis, Lucas Araldi, é um dos criadores do Labsentech, iniciativa que pode tornar mais ágeis os atendimentos oferecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Vencedor do Hackathon #DesenvolveSC 2019, o projeto prevê 77% de exatidão quais pacientes são propícios a faltar às consultas, exames ou cirurgias. A partir disso, seria possível reduzir as filas para quem busca o atendimento. O projeto agora será aperfeiçoado com apoio do Centro de Informática e Automação de Santa Catarina (CIASC). 

A presunção estabelecida pelo sistema é baseado em cruzamento de informações de diferentes bancos de dados que traça o perfil de pacientes suscetíveis a faltar às consultas. Em 2018,  o absenteísmo representou cerca de 30% dos agendamentos. Com essa ferramenta em mãos, o governo poderá tomar as devidas providências para se prevenir do problema e melhorar a saúde pública para a comunidade. 

“Além de reduzir a ociosidade e o desperdício de recursos, pois o profissional é pago mesmo sem prestar o atendimento, o sistema tem também potencial para reduzir significativamente as filas de espera. O próximo passo, é aumentar de 77% para 90% o nível de precisão, para tornar o atendimento prestado pela SUS ainda mais eficiente”, ressalta Araldi.

Promovido pela Secretaria de Estado da Administração, Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina (CIASC), em parceria com o grupo VIA da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC), o Hackathon 2019, que teve como tema Educação e Saúde pública, reuniu mais de 200 pessoas entre os dias 18 e 20 de outubro na sede do Ciasc na Capital com o objetivo de desenvolver projetos que facilitem a vida do cidadão.