Ibama autoriza o cultivo comercial de macroalgas em Santa Catarina

24 de Janeiro de 2020

É uma oportunidade à comunidade de maricultores de ampliar e diversificar o cultivo de marinhos na Região

Foi divulgado na última quinta-feira, 24 de janeiro, pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a autorização do cultivo comercial da macroalga Kappaphycus alvarezii no litoral catarinense. Utilizado na indústria farmacêutica, alimentícia, química e têxtil, o produto possui grande valor no mercado e pode ser combinado com o cultivo de ostras, mexilhões e vieiras.

A criação de macroalgas será permitida nos municípios de Itapoá e Jaguaruna. Alex Alves dos Santos, pesquisador do Centro de Desenvolvimento em Aquicultura e Pesca (Epagri/Cedap), explica que esta é uma oportunidade de diversificar o cultivo de marinhos na Região, aumentando o lucro dos maricultores, além de proporcionar mais emprego às comunidades tradicionais.

O secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Ricardo Gouvêa, comemora: "Mais uma boa notícia para o agronegócio catarinense. Ao longo de 2019 fizemos várias tratativas com o Instituto do Meio Ambiente, Ministério da Agricultura, Secretaria de Aquicultura e Pesca e Ibama para a liberação do cultivo de macroalgas em Santa Catarina e hoje colhemos os resultados. Os maricultores catarinenses terão mais uma alternativa de renda".

Para Alex, a maior contribuição é a ambiental, pois as algas são a base da cadeia alimentar aquática, favorecendo a vida marinha. "Com essa autorização, os próximos anos serão de muito trabalho para Epagri, para Ufsc e principalmente para os maricultores que juntos estarão construindo uma nova cadeia produtiva na história do agronegócio catarinense", afirma.

Pesquisa catarinense
Sendo o maior produtor brasileiro de moluscos, Santa Catarina iniciou os estudos para cultivo de macroalga em 2008 a partir de uma parceria entre a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) e Universidade Federal de Santa Catarina (Ufsc).

A Epagri/Cedap mantém dois cultivos experimentais de Kappaphycus alvarezii em Penha e Governador Celso Ramos e as negociações para autorização da produção foram retomadas no último ano.