Fundo empresarial é mobilizado pela FIESC para apoiar no combate ao coronavírus

23 de Março de 2020

Aquisição de ventiladores mecânicos pulmonares é a principal meta da entidade

A Federação das Indústrias (FIESC) está estruturando o Fundo Empresarial para Reação Articulada de Santa Catarina Contra o Coronavírus, uma mobilização de pessoas, empresas e organizações para o enfrentamento do novo coronavírus. A proposta é obter apoio financeiro ou operacional para ações relacionadas à aquisição, por exemplo, de ventiladores mecânicos pulmonares e outros equipamentos para os hospitais do estado, além de produtos de proteção individual e familiar. Outra frente prevê ações no âmbito da economia da crise, que envolvem sistemas e soluções que contribuam para o trabalho em casa, operação segura da indústria e geração de novos negócios. 

O presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar, informa que o setor empresarial trabalhará de forma articulada com o governo do estado e cita o exemplo dos ventiladores mecânicos pulmonares, como estratégia de suporte às pessoas atingidas pela Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus. “Este é um dos recursos mais importantes para o combate aos efeitos do vírus, pois é um equipamento vital para aqueles que apresentarem os sintomas mais graves da doença”. A operacionalização para ampliar a disponibilidade de equipamentos hospitalares e material de prevenção envolve quatro estratégias, que são a identificação e apoio à manutenção de máquinas que estejam fora de operação, apoio técnico à ampliação da produção por fabricantes nacionais, adaptação e aperfeiçoamento de equipamentos similares e importação de produtos acabados. Outra forma de cooperação das empresas é a utilização de espaços físicos para a instalação de centros de triagem. 

Conheça as frentes de ação do Fundo

Os projetos a serem apoiados pelo Fundo Empresarial para Reação Articulada de Santa Catarina Contra o Coronavírus serão divididos em três categorias

  1. Soluções de prevenção e combate à disseminação do vírus e proteção das pessoas -  contemplando equipamentos e sistemas de proteção individual e familiar na forma de materiais, produtos, objetos, equipamentos e sistemas que protejam as pessoas do contato ou contaminação com o novo coronavírus (exemplos: máscaras, luvas, álcool gel, equipamentos de higienização, produtos de desinfecção, sistemas de logística para proteção de organizações, sistemas de segurança, entre outros).
  2. Soluções tecnológicas de combate à doença já instalada - contemplando o conjunto de equipamentos, ferramentas e sistemas que contribuam para o enfrentamento das doenças em casas, hospitais e unidades de tratamento intensivo. Neste caso destaca-se claramente o “ventilador mecânico pulmonar”, fundamental na fase aguda da doença; 
  3. Economia da crise - outras soluções para manutenção da economia e bem-estar das pessoas isoladas - tecnologias, sistemas e outras soluções que contribuam para o trabalho em casa, a operação segura de indústrias, a criação de novos negócios e outras solução de problemas não contemplados nos itens anteriores. 

A FIESC criou uma conta corrente para o recebimento dos recursos financeiros doados. A entidade também está montando um sistema de governança composto por um conselho de doadores e contribuintes, que fará as auditorias e estabelecerá as regras de operação. Além disso, a entidade busca parcerias com as esferas de governo, para a consecução dos projetos e para negociar isenções fiscais para as operações do fundo. Também devem ser estabelecidas formas de cooperação com organizações da sociedade civil, como a Associação Catarinense de Medicina (ACM). Um aspecto central é que o fundo será organizado com uma estrutura flexível, ágil, multilateral e institucional de maneira a executar o objetivo proposto de forma desburocratizada, transparente e juridicamente consistente.