São Paulo inaugura o primeiro coworking de beleza do Brasil

02 de Março de 2017

Uma experiência do mercado de beleza de São Paulo que surgiu no início do século, o HairyLabelSuperstars, está renascendo em novo endereço e com nova roupagem, inovando o mercado da beleza. Liderado por um grupo de sócios como o arquiteto Xico Ekman e a designer Mari Botelho, o projeto tornou-se realidade este mês sob a marca HLS, posicionado como "primeiro coworking de beleza do país". 

A novidade localiza-se na avenida São Luis, no complexo do Edifício Itália, centro da capital paulista. O espaço coworking utiliza dois andares sobre uma loja da grife AMP, dos mesmos sócios.

Num dos andares se localizam 8 estações de trabalho completas para profissionais da área da beleza que podem ser alugadas por hora ou por um período maior. Cabeleireiros, maquiadores, barbeiros e outros criadores de beleza são seu público-alvo. No outro andar está sendo montado um estúdio para fotos e filmagens, com o mesmo nível de equipamento, mas desta vez para a criação e publicação online, na hora, de vídeos relacionados ao salão-coworking HLS.

Segundo os sócios, o diferencial da HLS é dar aos “escultores autônomos de cabelos”, como diz o empreendedor Xico Ekman, liberdade real em relação aos salões comuns. “A maior parte dos profissionais independentes acaba deixando de 50% a 65% do que recebe da cliente na mão do salão”, diz Xico, relatando que desde a toalha até o shampoo e a cerveja de brinde costumam ser cobrados do cabeleireiro. “Estamos dando a eles a possibilidade de não ser obrigados a dividir o resultado de seu trabalho. Somos um novo tipo de espaço que pode ser comparado a um 'Uber de beleza'.” Segundo ele, o HLS só cobra do profissional o valor de uso da estação de trabalho, de R$ 40 por hora.

Para Mari Botelho, o conceito é de “um espaço aberto para quem quer elevar seu nível de atendimento, de liberdade criativa e financeira, usando o local como seu próprio salão”. Para o profissional, basta agendar a hora e avisar a cliente. O uso da estrutura – como lavatórios, sala de química e área de instant beauty – é também livre. O "escultor" pode levar seus próprios instrumentos, como tesouras e secador, ou alugar ou comprar itens disponíveis na HLS.

 

*Com informações da Adnews.