Design | “É cada vez mais difícil se diferenciar”, afirma especialista em gestão de marcas

10 de Maio de 2017

O empresário gaúcho Luiz Eduardo Stedile foi buscar em um dos mais reputados escritórios de branding e gestão estratégica de marcas do Brasil a expertise desejada para a renovação da rede de motéis que dirige.

Com origem em Caxias do Sul (RS) e unidades em Joinville e Blumenau, o Pharras Motel está se transformando na LUV Motéis. O projeto de mudança se iniciou ainda em 2016, com um amplo trabalho de briefing entre escritório e cliente. Em abril, os motéis catarinenses começaram a transição para a nova identidade visual, enquanto o de Caxias do Sul só vai ganhar a marca nova no segundo semestre.

 

Diferenciação
Um dos fundamentos da renovação é “sair do lugar-comum apelativo” que costuma ser associado ao segmento, agregando novas faixas de público, de maior poder aquisitivo. Nesta entrevista, o designer Guilherme Sebastiany, sócio-fundador do escritório que leva seu nome, fala sobre a importância de a marca estar sintonizada com o mercado, especialmente em um setor tão cheio de particularidades quanto o motel.

 

 

 

Qual o papel da marca para a diferenciação de um negócio?    

Em todos os setores, o número de concorrentes se multiplica e é cada vez mais difícil se diferenciar e chamar atenção do seu cliente potencial. No segmento moteleiro também é assim. E, apesar de o número de motéis não ter crescido significativamente nos últimos anos, a concorrência ainda assim se acirrou. Hoje, quando tratamos de concorrentes, não discutimos apenas outros motéis, mas também outras opções tanto de locais quanto de entretenimento. Motéis hoje disputam com hotéis, flats, e com uma cultura mais liberal, que chega até mesmo à própria casa dos pais do jovem atual. Nesse contexto, a batalha pela diferenciação se dá principalmente pela percepção do consumidor, pela construção de um desejo de consumo de uma marca em particular

E como se dá o trabalho de reposicionamento de marca para um empreendimento do ramo? 

Cada projeto é único, cada empresa tem as suas particularidades, mas não é o fato de ser um motel que muda o processo de construção da marca. Em cada marca, precisamos desvendar sua essência, personalidade, seu DNA. Mas o posicionamento que parte desse DNA só se torna bem-sucedido se for realmente materializado na comunicação, arquitetura, atendimento, identidade e produto. 

Como tem visto o movimento dos empresários de redefinir a linguagem de marca de empreendimentos que até recentemente  apostavam em um perfil hoje considerado brega?

Desenvolvemos projetos para mais de 15 motéis nestes 14 anos de escritório. A mudança tem se dado nas mãos de pioneiros que investem em marca, comunicação, arquitetura e serviços. Os pioneiros estão ajudando a transformar a imagem de um segmento que estava envelhecido e obsoleto. Muitas vezes, são a nova geração de moteleiros, com curso superior e uma visão de negócios que traz essa mudança. Em outros casos de novos empresários que adentram esse segmento trazendo a prática profissional de gestão que aprenderam no mercado. E também temos alguns mais antigos, copiando o que os outros estão fazendo. Ainda assim, esse movimento é importante para o mercado como um todo.