Record produz grande reportagem para falar do envolvimento da Globo na delação de Palocci

17 de Julho de 2017

O Domingo Espetacular, da Record, exibiu ontem (16) uma reportagem de 16 minutos que trouxe o ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil, Antonio Palocci, e a maior emissora de televisão em audiência do país, a TV Globo, como protagonistas. 

Muito diferente dos contos de fadas, a história contada por Luiz Carlos Azenha garante que as informações guardadas pelo político podem levar à investigação de denúncias envolvendo sonegação fiscal, criação de empresa de fachada no exterior e negócios fraudulentos para aquisição dos direitos de transmissão da Copa do Mundo de 2002.

Entenda a história

A reportagem afirma que a emissora da família Marinho “quase quebrou” no início dos anos 2.000 por causa de “maus negócios”. Na época, segundo o material apresentado, o canal “montou um esquema” para adquirir os direitos de exibição da Copa do Mundo de 2002. 

De acordo com o repórter, que se baseou em documentos da Receita Federal, os arquivos informam que “a Globo conseguiu comprar os direitos de transmissão da Copa do Mundo sem pagar impostos no Brasil”. O jornalista ressalta que isso caracteriza uma “operação fraudulenta” — que ocorreu por meio da criação de uma empresa chamada Empire. A matéria destaca, contudo, que as investigações por parte da Receita Federal só começaram em 2005 e repercutiram na imprensa oito anos depois, em 2015, graças ao jornalista Miguel do Rosário — que falou do tema no blog O Cafezinho.

Globo e a Delação

A parte final da reportagem conta de que “ganhou força” a informação de que Antonio Palocci pode comprometer a Globo no acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal. Para isso, o programa da emissora de Edir Macedo exibiu na tela a postagem feita pelo jornalista Reinaldo Azevedo no blog que mantém no site da Rede TV. No conteúdo publicado no dia 10 de julho, Reinaldo afirma o acordo preparado pelo ex-ministro dos governos Lula e Dilma tem anexo de negociação fiscal envolvendo o PT e a TV Globo. “Mas o jornal Valor Econômico noticiou que a delação não deve sair”, comenta Luiz Carlos Azenha, a respeito de reportagem do impresso que circulou no mesmo dia 10. “Só que o jornal que diz isso é de propriedade da família Marinho”, completa o jornalista.

O repórter da Record finaliza a matéria destacando que enviou perguntas para a Globo, mas ficou sem respostas. Até o início da madrugada desta segunda-feira, 17, o canal carioca não se pronunciou oficialmente a respeito do conteúdo veiculado na última edição do ‘Domingo Espetacular’. Oriundo do Comunique-se.