Coluna Lígia Fascioni | Acordando com Fritz Cola

17 de Julho de 2017

Como a Coca-Cola alemã usa a criatividade para fazer as pessoas acordarem

Há alguns anos, vi essa campanha maravilhosa do refrigerante Fritz-Kola (sempre achei esse nome genial; é a “Coca-Cola alemã”), marca de uma empresa de Hamburgo com pouco mais de uma década de vida. O refri, como o nome diz, é à base de cola, ou seja, cafeína, e, portanto, estimulante.

A campanha, minimalista, criada pela Rocket & Wink, tem duas peças apenas. Na primeira, as tampinhas aparecem amassadas, como se fossem olhos entreabertos. Só aparece uma pergunta: “müde?” (tradução livre, significa: “cansado?” ou "com sono?") e mais nada. Na segunda peça, as tampinhas aparecem normais, com a palavra “wach!” que significa “lúcido!” ou “esperto!” com uma garrafinha de Fritz-Kola no canto. 

Mas há uns dias, quando teve o encontro dos líderes mundiais do G20 em Hamburgo (cidade sede da Fritz-Cola), eis que eles lançaram outra campanha sensacional. São ao todo três peças: a primeira traz um desenho baseado numa foto do presidente americano Donald Trump de cabeça baixa e os olhos fechados. No rodapé do cartaz, a frase "Mensch, wach auf!" (tradução livre: "acorda, homem!"). As outras duas trazem a versão com o presidente da Turquia, Erdogan, e o presidente da Rússia, Putin. A campanha é da agência Blood Actvertising.

A empresa conseguiu se posicionar maravilhosamente bem, de maneira incisiva e direta, porém não agressiva, e ainda fazendo uma clara conexão com seu produto.

Eu achei sensacional! E você?