Coluna Ozinil Martins | O que você quer ser quando crescer?

08 de Outubro de 2019

Frase tão comum ouvida pelas crianças e que ensejava respostas mais diversas possíveis está sendo, no atual momento da humanidade, de difícil resposta

 

As mudanças em andamento que afetam e afetarão o mercado do trabalho modificarão de forma brutal o que hoje são as profissões e como as praticamos.

Veículos sem motoristas, robôs policiais com capacidades que os tornarão muito mais eficazes, robôs cozinheiros, robôs atuando em armazéns, portos, aeroportos, transporte individualizado de pessoas por dutos de altas velocidades. Por este caminho começa a trilhar a humanidade.

Além destes movimentos percebe-se a substituição em modelos de trabalho que resistem há centenas de anos; substituição do ato de comprar presencial pela compra digital, a educação mudando seu modelo de presencial para a distância, o dinheiro físico perdendo sua importância para o dinheiro virtual.

Na área da medicina o aplicativo Watson ampliando a capacidade de diagnosticar de médicos, os aplicativos na área do Direito substituindo jovens em início de carreira com uma eficácia muito maior; os aplicativos estão mudando, de forma concreta e definitiva, ramos inteiros de negócio.  Uber, mudando o conceito de transporte, Airbnb, mudando o conceito de hospedagem, Quinto Andar mudando o conceito de imobiliária, são alguns exemplos de negócios que estão se reinventando e mudando, drasticamente, o perfil profissional das pessoas que trabalham nestes ramos.

As respostas esperadas pelo mercado não serão dadas por escolas tradicionais com currículos engessados e voltados para o passado. Muito mais importantes do que diplomas serão as competências dominadas pelas pessoas e, o mercado já percebeu isso. Tanto é verdade que inúmeras instituições de ensino estão proporcionando acesso a cursos sem a devida correspondência financeira. Importante é permitir o acesso às competências.

Portanto, aos responsáveis pela formação dos jovens de hoje, o que será exigido no futuro imediato será o domínio de habilidades sócio emocionais, tecnológicas e de conhecimento. Lembrando que: Competência é conhecimento, habilidade e atitude transformada em resultados!

Ofertar aos jovens de hoje envolvimento com atividades criativas, trabalho voluntário, terá grande impacto no desenvolvimento pessoal e permitirá desenvolver capacidades que a escola tradicional não está trabalhando. Seguir o exemplo dado por países como Japão, Coreia do Sul e Singapura, que aliam criatividade com disciplina pode ser um bom começo para formar uma população altamente produtiva.

No início dos anos 80, John Naisbitt, escreveu o livro Megatendências. Fez, na verdade, uma projeção das 10 megatendências que afetariam a humanidade. Em uma de suas análises escreve que, quanto maior o desenvolvimento tecnológico, maior será a necessidade de domínio das competências sócio emocionais. Visão antecipada de um tempo que chegou!

Prof. Ozinil Martins de Souza

  • imagem de ozinil
    Possui graduação em Geografia pela Fundação Universitária Regional de Joinville e pós-graduação em Educação pelo Instituto Catarinense de Pós-Graduação. Tem forte experiência na área de Administração de Recursos Humanos, Negociação Sindical, Consultoria Empresarial e Empreendedorismo e atua na área acadêmica.