Coluna Ana Lavratti: Orlando pr'além dos parques

21 de Outubro de 2019

Golfe, roda gigante, basquete da NBA, shows e museus completam o rol de atrações de Orlando

Mundo M&M: universo de produtos inspirados nos famosos chocolates, no Florida Mall

 

Pra quem está acompanhando por aqui as nossas #FériasNaFlórida,

com sete capítulos explorando os parques

SeaWorld e Aquatica,

Universal Studios e Islands of Adventure

Animal Kingdom e Magic Kingdom

além das românticas Celebration e Winterpark,

do mar de Miami, Fort Lauderdale e St. Petersburg,

e da melhor praia dos Estados Unidos, Clearwater,

não daria pra se despedir sem contar outros programas,

deliciosos e curiosos, que provamos em Orlando.

 

Portanto, incluam na programação:

 

Disney Springs é o parque “paralelo” da Disney, sem cobrança de ingresso, sem cobrança de estacionamento, com centenas de lojas, restaurantes e pontos de entretenimento com performances ao ar livre. No T-REX, toda a ambientação em torno das mesas remete à era dos dinossauros. No Planet Hollywood, ao contrário, nós migramos pro futuro, com robôs originais do clássico StarWars expostos desde o hall. No Rainforest é pra comer em “plena selva”, e na super store da Disney, é pra se sentir personagem de um filme, de tantas opções de compras para vestir, decorar a casa, e acalentar mais tarde a saudade da viagem. Tem também teatro, passeio de balão e uma franquia bem brasileira: a loja de esportes Pelé.

 

CityWalk, no acesso aos parques da Universal, segue a mesma lógica. No fim de tarde, até mesmo o estacionamento é gratuito, e independentemente de ter entrado nos parques, é possível viver experiências únicas entre os restaurantes e lojas encravados num corredor de diversidade. Só pra citar alguns programas emblemáticos, tem Hard Rock Café, 20 salas de cinema, show do Blue Man Group, baladas para maiores e uma infinidade de estilos gastronômicos. Na verdade, tem até mini-golfe... um programa que a Lara nunca dispensa.

 

Mesmo já tendo provado o circuito com 18 buracos do Pirate’s Cove, na International Drive, e outros golfes únicos pelo mundo, como o circuito interno glow in the dark, em Niagara Falls, no Canadá, a Lara não abriu mão de voltar no golfe do pirata, onde a perfeição dos cenários remete mesmo a um parque temático. Com navio, tesouros, pontes, armadilhas, cascatas e personagens, o Pirate’s Cove separa o novo ponto de encontro de Orlando, o Icon Park, do restaurante que é ponto turístico, o Boston Lobster Feast. Impossível não reparar nas lagostas gigantes, encravadas sobre os fuscas que, há quase 30 anos, circulavam de bairro em bairro pra divulgar o all you can eat com buffet de frutos-do-mar.

 

 

Em plena International Drive, o Icon Park congrega a roda gigante Orlando Eye, outros brinquedos radicais (já inaugurados e sendo finalizados), um museu inusitado, com cerca de 500 esqueletos expostos no Skeleton, o museu de cera Madame Tussaud, aquário Sea Life e 40 opções de bares e restaurantes. Pra mim, confesso, o mais curioso por ali foi explorar a Sugar Factory. Mix de loja e restaurante, o éden do açúcar serve doces e drinques surpreendentemente gigantes, num ambiente, lotado e barulhento, onde o deleite já começa no vai e vem dos garçons equilibrando esculturas campeãs em calorias... (que naturalmente, preferi não provar).

 

 

Já no Florida Mall, o shopping center do grupo Simon com ícones da moda, como a Macy’s distribuída em muitos andares, não resistimos a uma escala na megastore M&M. Para se ter uma ideia, até carro havia exposto por lá, numa profusão de cores, sabores e formatos remetendo às bolotas recheadas de chocolate. Um pouquinho mais adiante, próximo à praça de alimentação, tem ainda a Carlos Bake Shop, com vitrines que justificam porque o herdeiro do negócio, o Buddy, ganhou o mundo produzindo os bolos perfeitos do programa Cake Boss... E quer saber? O sabor faz jus à fama!

 

Sensação igualmente curiosa foi conhecer o Seabra Foods. Sem qualquer referência a respeito, pois entrei no supermercado por acaso, enquanto aguardava o Marcio fazer compras em uma das lojas vizinhas, de repente me deparei com uma sucessão de indicações em português: tapioca, pão de queijo, toddynho... Pois acreditem: praticamente todo o estoque é de mercadorias brasileiras, exceto o que é fresco, como frutas e vegetais. Aliás, não deixem de reparar no “regador” no refrigerador, que mantém os verdes hidratados enquanto expostos por ali.

 

Um rasante em Downtown Orlando?? Vale também... nem que seja para lembrar o quanto é possível conciliar a efervescente rotina movida a turismo com um dos centros financeiros mais robustos dos Estados Unidos. Logo ali, o Amway Center é a casa do Orlando Magic, que representa a cidade na elite do basquete mundial, nos torneios da NBA. Desta vez, em pleno Verão, o time estava em recesso. Mas na viagem anterior, a experiência de quase 5 horas de jogo, entre arremessos e pausas com cheerleaders em campo, foi tão única quanto o embarque, em Port Canaveral, no cruzeiro da Disney Cruise Lines. A verdade é que no ar – no alto das montanhas russas e da roda gigante -, na terra e no mar, a Flórida convida... em qualquer estação.

 

 

Acompanhe a colunista Ana Lavratti também no Instagram @analavratti

 

Para ampliar as imagens e acionar o slideshow, clique nas fotos da Galeria.

 

IconPark em Orlando
IconPark: roda gigante é só o começo...

Ana Lavratti

  • imagem de lavratti
    Ana Lavratti é Jornalista e Mestra pela UFSC com pesquisa sobre a Notícia em Meio Digital Online. Multiplataforma, acumula experiência em mídia impressa, eletrônica e assessoria de comunicação. Também é escritora, autora de 3 livros e 3 e-books, e atua como colunista social desde 2014. www.analavratti.com.br / social@analavratti.com.br Curta o Instagram @analavratti