Releitura do Meu Primeiro Sutiã é finalista da categoria Film

21 de Junho de 2019

Resultado será conhecido hoje às 16h00

 

 

 

FILM é a categoria mais tradicional do Cannes lions Festival e a mais difícil de ganhar um Grand Prix, prêmio máximo, ou mesmo leão de ouro. O Brasil ganhou seu primeiro Grand Prix em 2017 com um trabalho da F/Nazca para Leica.

Neste ano a categoria tem 115 finalistas e o Brasil tem 10. Um deles é o filme que traz uma mensagem de aceitação e acolhimento familiar de pessoas trans, baseado em um diagnóstico feito ANTRA que indica, a crescente onda de violência contra trans no Brasil. Segundo dados da entidade, a cada 48 horas uma pessoa trans é assassinada no Brasil e essa situação decorre, principalmente, pela falta de acolhimento familiar. Os jovens trans são colocados para fora de casa e caem nesse perverso ciclo de violência.

“Meu primeiro sutiã” é uma homenagem e releitura do comercial “O primeiro sutiã a gente nunca esquece”, criação de Washington Olivetto em 1987. Esse filme deixou um legado ao inserir na propaganda o conceito da “primeira vez” de um ser humano, tratando com sutileza o processo que ocorre com uma adolescente que percebe as transformações acontecendo com o seu corpo.

Clique aqui para reler nossa matéria referente ao case publicada no portal no dia  22 de abril.