Estaria na inovação dos leões de Cannes o futuro do festival?

04 de Julho de 2017

Uma análise sobre o futuro da indústria criativa

Foi um grande choque quando Arthur Sadoun, CEO da Publicis Groupe, anunciou que nenhuma agência da Publicis ijnscreveria trabalhos no Cannes Lions em 2018 - ou qualquer outro prêmio. Quando o anúncio foi feito na semana passada, as ações da Ascential, proprietária dos Leões de Cannes, cairam 3%. 

É um momento interessante para o festival. Está em uma encruzilhada importante, e se WPP e Omnicom seguissem a Publicis, poderia ser o fim das inscrições para Cannes como as conhecemos?

Houve muita conversa sobre o festival sendo muito impetuoso e muito comercial. Mas, mais interessante, é a constatação de que os gigantes tecnológicos estão assumindo o controle. A presença das empresas de tecnologia e geradoras de dados foi mais forte do que nunca neste ano com Twitter, Google, Facebook, Oracle, Rubicom, Taboola dominando as praias e Snapchat indo um passo adiante com uma enorme roda gigante. É fácil ver por que o público tradicional do festival de agências, criativos e clientes pode se sentir um pouco ameaçado. Mas certamente o festival está apenas se movendo com os tempos.

Mad Men vs. Math Men
Agora você pode ter um doutorado em matemática, ser um analista de dados ou cientista comportamental e trabalhar na indústria criativa. As habilidades criativas tradicionais estão sendo purificadas com novos pensamentos, tecnologia e dados para produzir uma nova geração de trabalho criativo que está direcionando a indústria.

Na verdade, a tecnologia evoluiu fundamentalmente para a definição do que a publicidade é - os mundos da criatividade, dos dados e da tecnologia estão agora inextricavelmente ligados. Diferentes indústrias e habilidades que se reúnem são mais importantes do que nunca. A colaboração é a chave para um pensamento inovador e inspirador.

Esta colisão de tecnologia, dados e criatividade é o que a inovação de Cannes trata. Foi emocionante fazer parte do programa este ano. Esperemos que se Cannes Lions mude, a inovação é mantida e evoluída. É o futuro da indústria criativa. Oriundo do Little Black, texto de Sol Rogers da REWIND.